Um final de semana mágico

28/03/2017 Por: ViK Correia Fotos: ViK Correia

Foi assim que os voluntários da Cruz Vermelha Brasileira – Paraná definiram os momentos vividos no 1º Encontro de Voluntários, realizado no Estado.

Promover o congraçamento entre os voluntários foi apenas um dos objetivos do evento. “A ideia é unir e estimular estes voluntários que estão sempre participando das ações e capacitá-los ainda mais para os projetos de atuação nas comunidades”, diz Eliana Reynaldo, coordenadora do Voluntariado da Cruz Vermelha no Paraná.

Foram três dias intensos em que os voluntários, divididos em 4 grupos, passaram pelas Oficinas de Liderança, Contação de Estórias, Comunicação e Juventude.

Aline Cesário Feitosa, responsável pela Oficina de Liderança, se mostrou empolgada em poder  trazer um pouco de sua experiência ao evento.

“Estou lisonjeada com o convite. Há quem pense que liderança e voluntariado não tem nada a ver, mas é super importante, porque o voluntário atua em ações junto às comunidades e ele precisa estar preparado para liderar e coordenar o rumo das ações propostas”. Aline vê o Voluntariado da Cruz Vermelha cada vez mais forte e unido. “Sempre focado nos princípios, mas com o olhar voltado para o trabalho da juventude, ainda há muito a crescer e evoluir”, afirma.

Um final de semana mágico (2)Na Oficina de Contação de Histórias a psicóloga Ana Simões, ao resgatar o sentimento infantil e a emoção de ouvir e contar histórias,  ressaltou a importância  de preparar as histórias de acordo com os ambientes onde serão contadas e estimulou a criação de personagens e elementos a partir de materiais recicláveis.

“Percebemos que é perfeitamente possível fazer e levar esta oficina para ensinar a contar historias, em qualquer lugar. A ideia era, além de trazer a noção de técnicas da contação, estimular a criação do próprio material, fazendo assim, em paralelo, uma Oficina de Reciclagem – para mostrar que não são necessários grandes aparatos para uma ação com contação de estórias. Precisa apenas vontade e a própria criatividade floresce. É um mundo mágico, que encanta as pessoas”, diz Ana.

Na Oficina de Comunicação, os instrutores Lucas Nascimento e Guilherme enfatizaram as diferentes formas de comunicação e a importância de comunicar  de acordo com o perfil do público em que o voluntário vai atuar, não só para que haja o total entendimento da mensagem a ser comunicada, mas também para gerar a empatia e possibilitar os resultados esperados. Na sequência o instrutor Sério Lucena apresentou a comunicação via rádio e a importância de conhecê-la, pois, em situações de emergências devido a catástrofes, qualquer outro tipo de comunicação fica prejudicado.

Na Oficina da Juventude, Thiago Quintaneiro, Coordenador Geral de Juventude da Cruz Vermelha Brasileira, ressaltou a importância de empoderamento dos jovens, com a disseminação de valores e princípios fundamentais.

“Nestes tempos modernos a direção da Cruz Vermelha, em todo o mundo, está focando na juventude com o objetivo de trazer o jovem, desde cedo, para consolidar suas bases voltadas para o trabalho humanitário. Precisamos levar  a prevenção contra a violência para dentro das escolas.Além de capacitados, queremos uma geração de jovens mais humanizados”, afirma Thiago.

Depoimentos

Marcela Cristina Siqueira, comentou sobre a Oficina de Liderança: “Sempre temos oportunidade de assistir palestras sobre liderança de grupo, mas aqui conseguimos ampliar estes conhecimentos porque com as dinâmicas tivemos a chance de ver os resultados na prática e observar onde precisamos melhorar. O conhecimento de liderança é importante no trabalho voluntário, “Porque você está guiando outras pessoas e ter essa postura de líder melhora o trabalho e a convivência com aqueles que também estão voluntariando”,comenta.

Para a pedagoga Sarita Fortunato o evento foi organizado de forma precisa e foi além do envolvimento com o coletivo. “São ensinamentos que vou levar para o meu dia-a-dia, nas escolas. Acho que é um trabalho de criação e motivação muito importante e, especialmente com relação ao voluntariado, precisa ter continuidade, pois instiga as pessoas no aprimoramento desse olhar de ajudar o outro”, afirma.

Marcos Veiga, voluntário presente em todas as ações da Filial Paraná sentiu-se realizado. “O Encontro foi excelente. Os organizadores do evento pensaram em cada detalhe para que tivéssemos um final de semana incrível. Os instrutores compartilharam seus conhecimentos com muita clareza. Foram informações que com certeza levarei para o resto da vida, semeando e aplicando em cada dia, de alguma maneira, os princípios que regem a Cruz Vermelha. Saio deste 1º Encontro ainda mais fortalecido e feliz por fazer parte deste grupo de voluntários.

Um passo para o futuro

Um final de semana mágico (1)

Em todos os sentidos o evento pode ser traduzido em uma palavra: Sucesso. E ao final, a grande gincana organizada, serviu não apenas para descontrair, mas para avaliar os conhecimentos adquiridos e instigar a coordenação para o planejamento do próximo Encontro.  “Porque quanto mais unidos, mais nos fortalecemos, mais ideias surgem e mais vontade de trabalhar aparece”, afirma Eliana Reynaldo, ao lembrar que é uma oportunidade para que os voluntários se conheçam mais e se reconheçam como parte da instituição,  afinal um dos sete princípios da Cruz Vermelha é o Voluntariado.

Leia mais sobre:
Assine nossa newsletter

CURTA-NOS NO FACEBOOK

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

  • Seja voluntrio! Acesse wwwcruzvermelhaorgbr e saiba como CruzVermelhaBrasileira
  • Juventude da Cruz Vermelha Brasileira lana novo logo Leia maishellip
  • Federao Internacional ter sede no Brasil Leia mais em wwwcruzvermelhaorgbr
  • Em apoio ao Centro de Referncia Global de Primeiros Socorroshellip