Ser VOLUNTÁRIO na Cruz Vermelha Brasileira

O Movimento Internacional de Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho está presente em praticamente quase todos os países do globo. O que constitui as bases mais importantes para a instituição são os seus sete princípios: Humanidade, Imparcialidade, Neutralidade, Independência, Voluntariado, Unidade e Universalidade.

Sendo um de seus princípios, os voluntários são a essência da instituição. São eles que tornam possível seu trabalho e a auxiliam a conferir ajuda àquelas pessoas em situações vulneráveis. Há voluntários no movimento desde sua primeira ação. Estes buscavam lado a lado com seu fundador, Henry Dunant, a oferecer atendimento médico aos feridos de ambos os exércitos na batalha de Solferino no norte da Itália, em 1859.

 

Conforme a definição adotada em seu código de ética sobre o serviço voluntário pelas Sociedades de Cruz Vermelha e Crescente Vermelho, os voluntários são pessoas comprometidas com a causa humanitária de forma a transcender os limites de seu emprego remunerado e de suas responsabilidades habituais, para prestar auxílio àqueles que se encontram em situações vulneráveis.

 


Dessa forma, exercem um trabalho não remunerado, mas que lhes conferem uma retribuição moral, tendo em vista que se percebem úteis à sociedade que estão atuando, muitas vezes, de forma direta, para minimizar os diversos flagelos que afetam seus semelhantes. Para além do benefício oferecido à sociedade, os voluntários também ganham com a experiência que adquirem durante sua contribuição, o que torna o trabalho gratificante e positivo para si mesmos.

Os voluntários são símbolo de esperança!

 

No intuito de guiar os trabalhos das Sociedades Nacionais de Cruz Vermelha e Crescente Vermelho a Federação Internacional criou a estratégia 2020, com o objetivo de “Fazer Mais, Fazer Melhor e Alcançar Mais.

Na estratégia 2020, são definidos objetivos estratégicos que serão as metas da instituição como: salvar vidas em catástrofes e apoiar a recuperação local, garantir saúde e vida segura e promover a inclusão social e uma cultura de não violência.

Para alcançar os objetivos estratégicos, tanto o Órgão Central da Cruz Vermelha Brasileira como suas filiais estaduais e municipais são divididos em departamentos. Estes podem ser, por exemplo: Socorros e Desastres, Educação e Saúde, Busca e Paradeiro, Juventude e o de Voluntariado.

Tendo em vista a divisão das funções da instituição nos respectivos departamentos, os voluntários podem ser alocados de acordo com suas aptidões, interesse e disponibilidade, de forma a tornar o trabalho proveitoso para o voluntário e para a instituição.

O voluntário, assim como qualquer outro colaborador da Cruz Vermelha Brasileira, possui direitos e deveres. Estes contribuem para melhor orientar suas ações, facilitando seu dia a dia. Como direitos e deveres dos voluntários apresentam-se os seguintes itens:

Direitos ::

• Realizar a FBI (Formação Básica Institucional) para melhor compreender o funcionamento da instituição, sua história e princípios;
• Ser ressarcido dos gastos realizados durante o trabalho voluntário;
• Ser sempre informado das novas decisões e diretrizes tomadas pela instituição;
• Ter seu trabalho reconhecido e valorizado;
• Ser tratado sempre com cordialidade e respeito;
• Ser bem instruído sobre a tarefa a ser realizada;
• Aprender e desenvolver novas práticas e conhecimentos;
• Participar de cursos que favoreçam seu desenvolvimento pessoal.

Deveres ::

• Estar ciente de que quando se trabalha para a Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho se assume a representação do Movimento e seus ideais;
• Estar atento em todos os momentos às necessidades dos demais;
• Ser ciente de suas limitações e disponibilidades;
• Tratar de prestar serviço ao nível que corresponde a sua capacidade pessoal, porém sendo flexível e perseverante para levar a cabo a tarefa a que se propôs;
• Saber relatar e avaliar sobre a tarefa realizada, acrescentando conteúdo se necessário;
• Estabelecer relações de trabalho positivas com seus companheiros voluntários, melhorando a comunicação e tendo em conta a importância da interação;
• Não comprometer os recursos da instituição sem haver sido autorizado previamente;
• Não utilizar para proveito pessoal o posto que ocupe na instituição.

Se você está de acordo com os princípios e normas apresentadas acima, e deseja ser um voluntário da maior instituição humanitária do mundo, envie um e-mail para voluntariadonacional@cvb.org.br com o assunto “Voluntário” e com os seguintes dados: Nome, E-mail, Idade, Telefone, Data de Nascimento, Área(s) de Conhecimento, Endereço Completo: Rua, Número, CEP, Bairro, Cidade e Estado.