Cruz Vermelha Brasileira pede ajuda para Minas Gerais

10/12/2017 Por: Jorge Velloso

A Cruz Vermelha Brasileira (CVB) segue atuando para atenuar o sofrimento das vítimas atingidas pelas enchentes que castigam Minas Gerais. Na região da Zona da Mata, 10 cidades decretaram estado de emergência e já houve a confirmação da morte de sete pessoas. Para fazer frente à grande demanda, a centenária instituição de ajuda humanitária solicita a doação de alimentos, colchão, água mineral, materiais de limpeza e higiene pessoal. A entrega pode ser feita na sede da instituição em Minas (Alameda Ezequiel Dias, 427 – Centro) e também na sede do Órgão Central, no Rio de Janeiro (Praça Cruz Vermelha, 10).

Lista de doações

Os 10 municípios que, até o momento, decretaram situação de emergência são: Buritizeiro, Cristina, Jaboticatubas, Tombos, Congonhas, Novo Cruzeiro, Ribeirão das Neves, Ponte Nova, Caeté e Capinópolis. Para a Campanha “SOS Chuvas Minas”, a CVB já enviou para os municípios afetados cerca de 15 toneladas de doações. Desde a sexta-feira da semana passada, uma equipe de voluntários de Belo Horizonte está na região, para prestar ajuda humanitária.

As enchentes destruíram casas e provocaram a suspensão de serviços básicos. Segundo dados da Defesa Civil estadual, no município de Caeté, na região metropolitana de Belo Horizonte, mais de 100 casas foram destruídas e quase 50 pessoas foram desabrigadas. Em Ribeirão das Neves, o número de residências danificadas já ultrapassou a 180, com mais de 700 pessoas afetadas. Em Pedro Leopoldo, também é grande o prejuízo com os alagamentos.

Em Rio Casca, moradores ainda retiram a lama que invadiu os imóveis. Por causa do acúmulo de lixo, entulho e material orgânico, o cheiro é forte em muitos pontos e alguns moradores se protegem com máscaras.

Na cidade vizinha a Rio Casca, Santa Cruz do Escalvado, a situação é parecida. O volume de água foi tão grande que saiu arrastando tudo que estava no caminho. A cidade também registrou deslizamentos de encostas e a policlínica do município foi interditada.

Leia mais sobre: ,
Assine nossa newsletter

CURTA-NOS NO FACEBOOK

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

No images found!
Try some other hashtag or username