Cruz Vermelha Brasileira participa de reunião de líderes do Movimento Internacional

06/11/2017 Internacionais Por: Jorge Velloso Fotos: Divulgação

Cruz Vermelha Brasileira participa de reunião de líderes do Movimento Internacional (4)

Líderes do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho estão reunidos esta semana, em Antalya, na Turquia, para traçar o futuro da maior instituição de ajuda humanitária do mundo. Recém-eleito presidente, Júlio Cals comanda a comitiva que representa a Cruz Vermelha Brasileira. “Por coincidência, nossa Sociedade Nacional e o Movimento Internacional passam por um processo de transição. É muito importante o Brasil tomar parte das importantes decisões que serão tomadas na Turquia”.

Alguns dos assuntos que estão na pauta das discussões que acontecem até 11 de novembro são: migração, armas nucleares, apoio psicossocial, conflitos armados e ameaças de pandemias e endemias. Também integram a delegação brasileira a vice-presidente Anete Angélica e a representante da Juventude, Jennifer Fernandes.

Cruz Vermelha Brasileira participa de reunião de líderes do Movimento Internacional (3)

As Reuniões Estatutárias do Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho contam com a participação das 190 Sociedades Nacionais da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho, juntamente com a Federação Internacional das Sociedades da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho (FICV) e o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV).

Cruz Vermelha Brasileira participa de reunião de líderes do Movimento Internacional (1)

Presidente da Cruz Vermelha Brasileira, Júlio Cals recebe as boas-vindas do secretário-geral da Federação Internacional, Elhadj As Sy

Ao longo da semana, acontecerão duas reuniões: a Assembleia Geral da FICV – o mais alto órgão de decisão da Federação de 190 membros – e o Conselho de Delegados – o órgão que também envolve o CICV – e que se reúne para discutir assuntos que dizem respeito ao Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho como um todo.

Uma das principais tarefas da Assembleia Geral da Federação foi cumprida nesta noite, com a eleição da nova diretoria.  Para a presidência foi eleito Francesco Rocca, da Cruz Vermelha Italiana. A Assembleia Geral também elegeu quatro vice-presidentes: Abdoul Azize Diallo (Senegal), Miguel Angel Villarroel Sierraalta (Venezuela), Chen Zhu (China) e Kerem Kinik (Turquia). O resultado agradou a comitiva brasileira. “A Cruz Vermelha Italiana ajudou a fortalecer a capacidade operacional da CVB, o que muito nos honra. A liderança e a visão do novo presidente serão importantes para garantir que a Federação possa apoiar os mais vulneráveis em diversas partes do mundo”, destacou Júlio Cals.

Veja alguns dos assuntos que serão tratados na Turquia:

Migração

Hoje, mais pessoas são deslocadas à força do que em qualquer outro momento desde o final da Segunda Guerra Mundial. Em todo o mundo, milhões estão fugindo da perseguição, conflitos armados, violência e desastres, em busca de segurança e dignidade. A Cruz Vermelha e o Crescente Vermelho estão presentes em todos os pontos dessas jornadas, ajudando e protegendo as pessoas necessitadas.

No próximo ano, os Estados membros da ONU adotarão novos Pacotes Globais sobre Migração e Refugiados. Com base na resolução da reunião do Movimento de 2011, o Conselho de Delegados enviará uma mensagem aos Estados, instando-os a priorizar a segurança de todos os migrantes, independentemente do status, e a garantir o acesso a serviços humanitários críticos.

Armas nucleares

A adoção e ratificação no início deste ano do Tratado sobre a Proibição de Armas Nucleares foi uma conquista histórica. O Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho foi um defensor importante destas negociações, insistindo que os Estados aproveitassem esta oportunidade histórica para proibir e eliminar armas nucleares com base em compromissos existentes e obrigações internacionais.

No entanto, a tarefa ainda não está concluída. O Conselho de Delegados considerará novas etapas para promover a adesão e a plena implementação do novo Tratado por todos os Estados.

Apoio Psicossocial

Conflitos armados, catástrofes naturais e outras emergências, inclusive aquelas decorrentes da migração, podem ter consideráveis consequências psicossociais e de saúde mental para as pessoas afetadas. Embora o impacto humanitário dessas necessidades não atendidas seja extenso – potencialmente afetando a sociedade como um todo- a saúde mental e o apoio psicossocial muitas vezes não são tratados como prioridades em contextos humanitários. O Conselho de Delegados examinará como o Movimento Internacional da Cruz Vermelha e do Crescente Vermelho pode responder melhor a este “sofrimento escondido”.

Outros problemas

As reuniões explorarão uma série de outras questões humanitárias, incluindo a necessidade de envolver pessoas afetadas em esforços de ajuda e recuperação; o uso de armas explosivas em áreas populosas, e a ameaça iminente de epidemias e pandemias.

Além disso, e pela primeira vez, as reuniões dedicarão um dia inteiro à exploração de como as tendências atuais podem afetar a ação humanitária no futuro. O Fórum explorará ainda questões que incluem o envelhecimento da população, diminuindo a confiança nas instituições, novas tecnologias, novas formas de violência e mudanças climáticas.

Logo-RCRC_Statutory_Meetings_2017-EN

Assine nossa newsletter

CURTA-NOS NO FACEBOOK

SIGA-NOS NO INSTAGRAM

  • PRESIDENTE DA CRUZ VERMELHA BRASILEIRA CUMPRE AGENDA NO NORDESTE Presidentehellip
  • AO DE CIDADANIA E SADE Com o objetivo de fomentarhellip
  • AO DE CIDADANIA E SADE Com o objetivo de fomentarhellip
  • ANIVERSRIO DE FUNDAO DA CRUZ VERMELHA BRASILEIRA  SANTA ROSAhellip